BBB12 vote: Jonas ou João Maurício?

Posted in TV with tags , , , on 13 fevereiro, 2012 by Zailda Coirano
Jonas e João Maurício

Jonas e João Maurício no paredão nesta terça.

Depois que Laisa indicou Jonas para o paredão, a jogada inteligente seria concentrar todos os votos da Praia em um dos jogadores da Selva, mas Kelly e Fabiana dão pra trás e o resultado aí está: na terça-feira um participante da Praia dará adeus ao Big Brother e também ao sonho de ganhar um milhão e meio de reais.

Os sites de pesquisa ainda dão “empate técnico”, de forma que só saberemos ao certo quem irá deixar a casa amanhã com o anúncio de Pedro Bial. Enquanto isso não custa sabermos a quantas anda o gosto dos espectadores / votantes. Vote e descubra também.

Estupro ainda é crime?

Posted in TV with tags , , , , on 17 janeiro, 2012 by Zailda Coirano

Não quero aqui julgar se houve ou não estupro no BBB, eu não vi o vídeo e tenho certeza que a polícia está mais preparada para lidar com o problema. O que me chateia é que mesmo dentre os que consideram o que ocorreu um estupro, ainda há os que alegam que “ela pediu” por isso.

A lei – basicamente falando – não inclui “a conduta da mulher” como atenuante num caso de estupro. Estuprar uma prostituta é tão grave quanto estuprar qualquer outra pessoa. Fazer sexo é bem diferente de ser estuprada, e os psicólogos são unânimes em afirmar que o estupro provoca traumas e problemas emocionais que ficam para o resto da vida. Quem é estuprado é profundamente prejudicado por seu estuprador, e sua vida emocional muda para sempre.

Quem tenta “medir” a culpa do estuprador usando como fita métrica a violência física empregada ou as circunstâncias em que ocorreu (incluindo aí o ambiente em que estavam, a conduta da mulher, etc.) parece não perceber que o ser humano não existe apenas em corpo, há também o lado espiritual e o emocional, que certamente ficam seriamente abalados e comprometidos após a submissão ao ato sexual não consensual.

Alguns comentários deploráveis de “a safada queria” me fazem pensar se seria essa a reação se a mulher fosse sua mãe ou sua irmã, ou mesmo sua filha. Se ela é safada é problema dela, se ela queria ou não, isso era ela quem tinha o direito de decidir e a ninguém mais cabe a decisão de dizer “sim” ou “não”. Esse “não” pode acontecer no primeiro contato, meia hora depois, após o primeiro beijo, ou até quando já estão pelados e prontos para consumar o ato, isso não importa: não continua sendo e significando “não”.

Também acho uma pobreza esse racismo ao contrário: se eu brigo com um branco que me deu uma fechada no trânsito estou no meu direito; se o cara é negro eu sou racista. Se eu reclamo com um hetero que passou na minha frente na fila do banco estou no meu direito; se o cara é homo eu sou preconceituosa.

Independente de quem está sendo julgado, se é branco, preto, homossexual, verde ou um ET; independente do fato de a moça estar bêbada, com muita ou pouca roupa, como ela dançava ou como se comportou. O que eu espero é que os fatos sejam apurados e se – à luz da lei brasileira – o que ocorreu for realmente um estupro, que a lei seja aplicada.

Zailda Coirano

Website   Loja Virtual   Rádio   Facebook   Twitter

Os números de 2011 – Blog Diário do Ócio

Posted in Ano Novo with tags , , on 31 dezembro, 2011 by Zailda Coirano

Os duendes de estatísticas do WordPress.com prepararam um relatório para o ano de 2011 deste blog.

Aqui está um resumo:

A sala de concertos da Ópera de Sydney tem uma capacidade de 2.700 pessoas. Este blog foi visitado cerca de 24.000 vezes em 2011. Se fosse a sala de concertos, eram precisos 9 concertos egostados para sentar essas pessoas todas.

Clique aqui para ver o relatório completo

Caso Adriano: embrulhada

Posted in Justiça, Notícia with tags , , on 27 dezembro, 2011 by Zailda Coirano

AdrianoSegundo consta, Adriano estava no banco de trás do carro, de onde partiu o disparo. Mas pode ser que também estivesse no banco da frente, de acordo com uma testemunha.

Segundo consta, a arma com que Adriano apareceu na foto e que deu o maior quiprocó era de brinquedo.

Segundo consta, os 60 mil não foram enviados a traficantes, mas sim usados por sua mãe na compra de cestas básicas para crianças carentes.

Segundo consta, Adriano negou ter presenteado a mãe de um traficante com uma moto.

Segundo consta, ele estava de férias quando a nova embrulhada começou, portanto o Corinthians não tomará medida disciplinar, a “vida particular” de Adriano é problema dele.

Eu não tenho nada com isso, mas como está no noticiário, é fato público. Não estou aqui pra jogar pedra em ninguém, nem para julgar.

Mas, vem cá. Eu sou corintiana de carteirinha e adoro o jogador, mas na “vida privada”, ou ele é um tremendo de um pé frio, ou estão armando pra ele, ou tem coisa muito podre por baixo disso tudo. E eu prefiro nem dizer o que eu acho.

Zailda Coirano

Website ǀ SOS Idiomas ǀ Facebook ǀ Twitter ǀ Web rádio (em breve)

Garoto baleado pela policia

Posted in Notícia, Policial with tags , , on 24 julho, 2011 by Zailda Coirano

caso_juan_beta(1)O caso do garoto Juan, morto em suposto “tiroteio” entre polícia e bandidos no Rio de Janeiro é para mim algo inexplicável.

Me parece incrível que policiais – que teoricamente existem para proteger a população dos bandidos – tenham simplesmente fuzilado um garoto que ia com o irmão para casa.

Me parece incrível, já que foi constatado que não houve tiroteio, só havia tiros dados pela polícia. Porque policiais atirarem em um garoto para mim é um fato inexplicável.

Também inacreditável saber (como vi na TV Globo) que dois dos policiais já eram investigados por estarem envolvidos em outras mortes. Me custa acreditar que haja policiais que estejam sendo investigados por morte de inocentes e que estejam por aí, em viaturas e carregando suas armas. Sempre acreditei que a primeira providência no caso de investigação de policiais suspeitos de matar pessoas inocentes ou matar sem uma justificativa plausível seria seu afastamento imediato das funções.

Se estão sob suspeita de serem bandidos (e perversamente mais perigosos que os “ditos” bandidos, já que por padrão devemos confiar nossa segurança à eles), me parece o cúmulo que continuem vestindo fardas e portando armas durante essa investigação.

Também me parece inacreditável que uma médica tenha confundido o corpo do garoto com o de uma menina, e que por isso vários dias de agonia tenham se passado sem que a família soubesse o que aconteceu com o garoto. Mesmo eu, que jamais frequentei os bancos da mais humilde e pobre faculdade de medicina (se é que existem faculdades pobres) sei a diferença entre o corpo de uma menina e de um garoto, e mais certeza ainda teria se fizesse uma autópsia. Ou será que foi uma “autópsia virtual”? Ou uma assinatura atestando que vi o que de fato não vi, algo assim “pró-forma” como já é de praxe no Brasil?

Não estou aqui levantando suspeitas contra ninguém – mesmo porque os “fatos” revelados até agora são por si tão contraditórios que nem Sherlock Holmes se arriscaria a dar seu palpite sem a valorosa ajuda de seu ajudante Watson. Só estou dizendo o quanto esses fatos todos me deixam boquiaberta e – mais que isso – revoltada.

Não preciso ser Sherlock Holmes para saber que há muitos culpados pela morte do garoto e pelo sofrimento da família e das famílias de muitos outros Juans.

E só me resta pensar que tudo não passa de uma obra de ficção macabra e de gosto duvidoso, que nada disso pode estar acontecendo. Só assim se justificaria essa sucessão de erros que culminaram com a morte de um inocente.

assinatura fundo preto peq

BBB 11: Bem Bonitos e Bobos

Posted in TV with tags , , on 19 março, 2011 by Zailda Coirano

bbb-11Eu assumo que gosto do BBB 11, não vou ser hipócrita e dizer que não assisto. Assisto sim, não perco um dia. É comum a todo ser humano aquele sentimento de diversão frente ao ridículo alheio. E nem é nossa culpa, eu ainda não sei o que leva 17 (ou mais) seres humanos a trancarem-se numa casa com estranhos para servirem ao gáudio do povão durante alguns meses.

Ficam separados de suas famílias e amigos durante meses, não saem em natal ou carnaval, ficam à margem dos noticiários, por fora de eleições, crimes, desastres naturais e outros provocados pela estupidez humana (esses mais frequentes que os anteriores). Bem, acabei de encontrar uma boa razão: alienação.

Quer outra ótima: não ver o Galvão Bueno, a Xuxa, a Ana Maria Braga, o Jô entrevistando a si mesmo na frente de seus convidados, o Fantástico e o Domingão chatão do Faustão sem educação.

Quer mais? Meses sem trabalhar, longe do chefe, da sogra chata, da namorada exigente, dos amigos puxa-sacos, do irmão impertinente. Até filho acho que a gente ama mais quando está longe, vendo só pela telinha em dia de paredão. Até pai que renega o filho aparece em dia de paredão, gente! Perdão incondicional para todas as bobagens, problemas e besteiras feitas no passado, passa-se uma borracha em tudo e está todo mundo lá, gritando feito macaca de torcida de cantor de rock em dia de paredão.

Imagino que quem se expõe ao ridículo em rede nacional possa citar um milhão e meio de motivos para estar lá; acredito que a emissora possa citar bilhões de motivos em comerciais e anunciantes novos, pagando os tubos pra figurar no imenso picadeiro armado para que nos deliciemos espiando a vida alheia.

Na tela vemos mais um novelão com script escrito por autor não mencionado, e enquanto se enovelam todas as emoções e burrices humanas nós rimos e rolamos de tanto rir do lado de cá. E rimos de novo, e de novo. Gente, isso tudo é uma palhaçada do gênero pastelão. Será que escolhem a dedo esses figurantes apetitosos para prender nossa atenção enquanto desfilam suas bundas saradas e recitam frases feitas nessa comédia pastelão onde vemos representados todos os “tipos” com os quais convivemos em nossa vida real? Estarão eles conscientes do quanto são caricatos seus fracos personagens?

Talvez o que nos leve a ver seja a mesma atração que sentimos pelos filmes trash, pelo cirquinho de interior, pelo mal feito, quando nos sentimos superiores por conseguirmos identificar cada tropeço, cada defeito e cada erro de continuidade.

Nesse jogo de 7 erros nos divertimos enquanto derrubamos um a um num tiro ao alvo cibernético, as balas são torpedos de nosso celular. Com as teclas abatemos os desafetos, deixando apenas os bobos para o final. De apenas um deles será o reino dos céus.

assinatura fundo preto peq

A campanha eleitoral estava boa demais pra ser verdade

Posted in Eleições with tags , , , , , on 11 outubro, 2010 by Zailda Coirano

EleiçõesHoje eu vou fazer como aquele personagem do Jô Soares, que ficava se matando, se torturando. Um dia botava um sapato 3 números menor, no outro queria subir o Corcovado de joelhos.

Vou ter que inventar algum tipo de auto-flagelação, porque no primeiro turno, quando ouvi aquele discurso do Serra, de que “essa ia ser uma campanha limpa, que ele ia apenas falar sobre sua proposta de governo e que em nenhum momento apelaria para o ataque pessoal” EU ACREDITEIII!!!!!!!

Com a mais ingênua boa-fé eu juro que acreditei que não veria o Serra nem os seus simpatizantes falando um monte de coisas ruins sobre a Dilma (que não terão tempo de provar antes da eleição) e distorcendo todas as palavras dela.

Fazer de conta que a gente não sabe que milhões de mulheres fazem abortos clandestinos por ano no Brasil e que muitas têm complicações porque são atendidas de forma precária seria – no mínimo – uma hipocrisia. Agora dizer que ela “é a favor da morte de criancinhas” só porque quer tornar o que existe “de fato” em algo “de direito” é uma mentira deslavada.

Quando se tentava votar a lei do divórcio no Brasil houve revolta em certos meios, sendo que a proposta só legalizaria o fato que já existia: os casais se casavam e quando não dava certo, se separavam. Ninguém iria mudar isso, a ideia era só legalizar o que milhões de pessoas queriam. Não se obrigaria ninguém a divorciar-se contra a vontade, nem a família (como instituição) deixaria de existir (como de fato não deixou) como pregavam os que atacavam a legalização do divórcio.

Agora que se tenta fazer com que nossas leis estejam mais de acordo com a realidade brasileira (milhões de fetos são abortados por ano, e isso é fato, sendo ilegal ou não), lá vêm os mesmos moralistas de carteirinha com a ladainha cristã. Se o fato de o aborto ser ilegal impedisse alguém de o fazer, ou se protegesse a vida dos não-nascidos, não aconteceriam os abortos, porque ele já é ilegal. O fato de ser legalizado também não fará com que ninguém que – por motivos religiosos, esprititualistas ou seja lá porque for – seja contra o aceite ou seja obrigado a fazê-lo.

Eu jamais faria um, sob qualquer circunstância, mas não é porque é ilegal. Eu não faria porque respeito a vida humana. Mas não respeito só a vida humana do feto, a da mãe também tem que ser preservada, se a mulher pensa de forma diferente de mim e decide fazer um aborto (que no momento é ilegal), estará arriscando também a própria vida.

Mas agora os “religiosos” estão contra a Dilma. Pura hipocrisia. Estão todos “horrorizados” porque ela é a favor do aborto, porque ela falou em Cristo de forma que consideram desrespeitosa. Mas quero ver quantos desses que agora estão “horrorizados” e usam esse “pretenso horror” para atacar a Dilma, na igreja. Quero ver se vão lá toda semana, se confessam, comungam e – sobretudo – se também seguem os outros mandamentos: não roubar, não cobiçar as coisas alheias, não cobiçar a mulher do próximo

Ou será que dependendo das pesquisas do IBOPE eles escolhem qual mandamento irão respeitar e qual irão ignorar?

assinatura fundo preto peq

%d blogueiros gostam disto: